Olá pessoal! Sou Marcílio Guedes Drummond, cervejeiro da Cervejaria Terra Lupulada (Sete Lagoas/MG) e recebi o convite da Loja Cargus para falar para vocês pouco sobre o mundo cervejeiro.

Os brasileiros são grandes bebedores da famosa “loira gelada” e muitos deles não abrem mão da sua marca preferida. Pensam que são grandes entendedores de cerveja…será?

Você sabia que existe atualmente cerca de 120 tipos de cerveja? – isso sem contar os subtipos!

O mercado cervejeiro do Brasil está mudando e cada vez mais o brasileiro está experimentando novos tipos de cerveja, sobretudo pelas “cervejas especiais”.
Dentre esses 120 estilos, distribuídas em inúmeras marcas, dividimos em três grandes famílias de cervejas: as ALES, as LAGERS e as LAMBICS
.
No texto de hoje, falaremos das LAGERS, que, apesar de não serem as primeiras cervejas criadas na história da humanidade, são as mais consumidas atualmente.

cerveja large

LAGERS

São as cervejas de baixa fermentação, aquelas que fermentam em temperaturas mais baixas (9 a 15º C), o que faz com que estas bebidas sejam mais cristalinas do que as ALES. Possuem características mais leves que as ALES, ou seja, são menos aromáticas e tendem a puxar para um sabor mais semelhante a pão.
A maioria delas é clara na cor, com um elevado teor de gás carbônico, com sabor moderadamente amargo e conteúdo alcoólico entre 3 a 6%.

No Brasil o consumo de cerveja lager chega a corresponder a 99% do mercado, pois a “loira gelada” do brasileiro, estilo , American Lager, é produzida em grande escala. NÃO SE ENGANE MAIS: a “loira gelada” que você toma e recebe o nome Pilsen é na verdade uma American Lager!

Sobre a American Lager, você precisa saber que divide-se em Lite American Lager, Standard American Lager (estas são as brasileiras conhecidas, como: Antartica, Bohemia, Devassa Loura, Brahma, etc…) e Premium American Lager (cervejas como: Serramalte, Brahma Extra).
Qual a diferença delas para a Pilsen? As American Lager são bem mais fracas (aguadas), com menos sabor de lúpulo e mais claras que as Pilsen (cerveja criada na República Tcheca, que também possui uma variação alemã).

cerveja02

Vamos falar de ALGUNS estilos de LAGER:

Perceba que há muito mais estilos de lager do que os aqui apresentados.

– American lager: como já explicado acima essas são as cervejas que o brasileiro, de forma errada, chama de Pilsen aqui no Brasil. São cervejas refrescantes, de cor amarelo claro até dourado, com espuma clara e aroma discreto. De baixo a médio amargor. Teor alcoólico entre 4 a 6%. Ex.: Antartica, Original, Kaiser, Serramalte, Brahma, Skol e outras.

– Pilsner ou Pilsen: Nome derivado da cidade tcheca de nome Pislner. Cervejas mais lupuladas e com maior amargor. Dividem-se em duas escolas: a German Pilsner, que possui menos malte e mais lúpulo, com espuma branca e cremosa, mais seca e leve. Ex.: Brasileira: DaDoBier Original. Importada König Pilsener; Warsteiner Premium Verum. Outra escola é a Bohemian Pilsener, refrescante e com acentuado sabor de malte em equilíbrio com o lúpulo. Sempre cristalina. Ex.: Pilsner Urquell; Budweiser Budvar; 1795 Original Czech Lager.

– Munich Dunkel: Dunkel significa escura em alemão, portanto as essas cervejas são escuras-avermelhadas, produzidas originalmente em Munique. Bastante maltada e espumante, com leve sabor torrado, lembra pão torrado. Aroma com toques levemente adocicado de toffe. Ex.: Brasileira: Eisenbahn Dunkel; Nova Schin Munich. Importadas: Warsteiner Dunkel e Hofbräu München Dunkel.

– Schwarzbier: Significa cerveja preta em alemão. Mas não confunda com a Malzbier. É uma cerveja suave, com aromas que remetem ao café e ao chocolate. Com presença de maltes tostados. Não pode ter sabor frutado, sendo mais seca. Também não é doce. Ex.: brasileiras: Petra Premium, Bamberg Schwarzbier, Xingu.

– Malzbier: Cerveja escura e doce, de graduação alcoólica baixa, na faixa dos 3 a 4,5%. Muito famosa no Brasil, não possui muitos correspondentes fora daqui. Na Alemanha, seu país de origem, nem é tratada mais de cerveja e sim bebida energética. Inclusive é pouco classificada em outras fontes, caindo normalmente no grupo de “outras cervejas com baixo teor alcoólico”, já que a Malzbier original não chegava nem a 1% de álcool, pois quase não tem fermentação. Quase toda cervejaria brasileira tem sua versão, portanto basta procurar por Brahma Malzbier, Antarctica Malzbier, NovaSchin Malzbier e assim por diante. Trata-se de uma american pale lager na qual, após a filtração, são adicionados caramelo e xarope de açúcar, ai a coloração escura (que não vem do malte tostado) e o sabor adocicado.

– Vienna: Originário da Áustria, de cor marrom avermelhada, a presença do malte contrabalanceia o amargor do lúpulo. Tem corpo médio e um sabor suave e adocicado de malte levemente queimado. Graduação acoólica entre 4,5 e 5,7%. Exemplo: Brasileira: Bierland Vienna.

– Bock: São cervejas avermelhadas. Possuem um complexo sabor maltado devido às misturas de maltes de Viena e Munique. Com graduação alcoólica mais alta indo normalmente de 6% a 14%. Requerem um tempo de maturação maior que as outras lagers, geralmente meses. Ex.: brasileira Kaiser Bock; Polar Bock; Baden Baden Bock; Bierbaum Bock.

E aí, qual desses estilos você já bebeu? Qual estilo ainda quer experimentar?

Gostaria de deixar aqui nossa Fanpage para os mais interessados na arte da cerveja.

www.facebook.com/terralupulada

Loja Cargus:

https://www.facebook.com/lojacargus

https://www.instagram.com/lojacargus/

Telefone:  031 3839-7203

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informe a TAG *